quarta-feira, 31 de dezembro de 2008

Réveillon

Hoje, como todos os dias, eu acordei tarde - por ter dormido tarde. Tive um sonho. Bom sonho. Feliz? Quem sabe? Presságio de algo bom? Definitivamente? Não tem como saber... E é hoje o tal do Réveillon.

Eu não precisei estudar francês para saber o que essa palavra significa. Aliás, isso me faz pensar em como podemos entender o sentido de tantos termos estrangeiros que são incorporados na nossa língua materna... Não foi exatamente minha mãe quem me ensinou - não me lembro quando ou como eu já sabia que réveillon "quer dizer" ano novo; foi o que me disseram! - mas foi ela que imortalizou esse sentido: ela tinha um namoradinho antes do meu pai. Era um rapaz não muito bonito, um tanto quanto mais velho que ela, bem sucedido e com boas intenções. Num baile, a tirou pra dançar. E conversando perguntou: Onde vai passar o Revéillon? Ela: Não conheço esse clube.

No Wikipedia, o termo se refere ao dia 31/12, véspera do ano novo. Ou seja: HOJE. Para mim (e para os franceses, talvez) o Réveillon é uma palavra que vem verbo réveiller, que significa DESPERTAR. Hoje é o dia de acordar: de todos os sonhos não realizados do ano que há 365 dias atrás era novo, dos projetos não realizados, das metas não alcançadas, das lágrimas derramadas por motivos vãos, dos rancores e mágoas alimentadas nesse ano que termina, do mal-estar, da angústia e da incerteza que persistem em nos rondar. É hora de despertar para novos sonhos a serem realizados, novos projetos para desenvolver e pôr em progresso, metas a serem alcançadas, sorrisos para serem dados, livros e filmes para serem lidos e vistos, novos amigos para serem feitos, flores que vão desabrochar...

Essa palavra também me faz pensar numa outra, também de origem francesa: Rêve, que quer dizer sonhar. E no verbo Révéler, que significa revelar. Bem, deixo para vocês o desevendar dessa multiplicidade de significados... Ou não. Mas o fato é que nesta manhã de Réveillon eu despertei de um sonho (bom). Amanhã eu também vou... Sonhar e despertar. Não necessariamente nessa ordem!

Joyeux Nouvelle Année, mes amis!



Happy New Year - Abba


terça-feira, 23 de dezembro de 2008

Mais (ou menos) um Natal

Cá estou eu no meu room solitário... Passando uma experiência indesejável e sofrida. Há certas coisas pelas quais passamos que como disse Nietzsche, nos deixam mais fortes. Uma pessoa me disse que viver é sofrer. E como não concordar, quando a dor chega assim tão funda?

Dizer que o Natal é uma data comercial que já perdeu seu sentido e valor não pode ser considerada uma máxima verdadeira. Por mais que nos deixemos levar pelo espírito consumista que nos obriga a gastar mesmo o que não temos para agradar aqueles que a gente mais gosta (ou não), nos corações mais abertos e sinceros, o espírito natalino nasce espontaneamente! Ele chega de mansinho... E quanto mais perto fica do dia do nascimento do Jesus Menino, o coração se torna mais terno, mais fraterno e generoso. É curioso como da mesma forma que ele nos assoma ele nos deixa logo em seguida! É uma força muito poderosa essa porque é coletiva! Alcança milhares e milhares de pessoas no mundo inteiro! Deveríamos aproveitar esse espírito natalino para que ele nos acompanhe por mais tempo porque ele tem a capacidade de nos humanizar ainda um pouco mais...

Eu sinto esse espírito chegando de mansinho... Mas esse ano eu não dei muita bola pra ele. E principalmente depois de sofrer uma perda triste recentemente ele realmente não me atingiu de maneira tão frutífera dessa vez.

Não estou aqui para desejar mais um FELIZ NATAL E UM PRÓSPERO ANO NOVO comum. Todo ano a gente ouve isso como se ouve todos os dias o bom-dia de alguém que se considera educado. Eu não preciso desejar um Natal feliz para o coração que está aberto e generoso! É uma redundância, um pleonasmo!... Eu vim dizer que... eu sei que cada lágrima derramada, cada dor sentida vale muito a pena por cada pequena e ínfima alegria que a gente tenha tido em qualquer circunstância dessa nossa breve existência. Portanto, sou grata pela minha dor e pela minha alegria. E vou deixar que o Espírito do Natal se chegue mais pertinho do meu coração...

Àqueles que apreciam um (bom) texto Natalino, indico um do Fernando Sabino chamado Mais um Natal!



terça-feira, 9 de dezembro de 2008

Life is wonderful - Jason Mraz

Essa música é o espírito do meu dia. O som da minha voz, hoje.

Eu não sei o que vai acontecer daqui há um segundo. Mas eu sinto que a vida é o bem mais precioso que temos e nada, nada do que aconteça deveria nos fazer desejar que ela termine...

Desafios, dificuldades, obstáculos. Fazem parte. Aprendizado: Sempre!

Uma tristeza, uma mágoa... São mesmo alguma coisa quando uma alegria fecunda inunda o espírito? Não. Nenhuma dor que eu tenha sentido, nenhuma agressão verbal ou física representam qualquer coisa quando eu posso sentir uma alegria totalmente nova!

A Vida é Maravilhosa - Jason Mraz

É preciso um guindaste para construir um guindaste
É preciso duas pessoas para fazer uma estória
É preciso um ovo para ter uma galinha
É preciso uma galinha para ter um ovo
Não há fim para o que estou dizendo

É preciso um pensamento para obter uma palavra
E é preciso algumas palavras para se obter uma ação
E é preciso algumas ações para se obter um resultado
É preciso uma pouco de bondade para se magoar
É preciso um pouco de maldade para se satisfazer

Ah la la la la la la a vida é maravilhosa
Ah la la la la la la a vida é um circulo completo
Ah la la la la la la a vida é maravilhosa
Ah la la la la

É preciso da noite para se ter a madrugada
E é preciso um dia para te entediar
É preciso do velho para te fazer jovem
É preciso do frio para reconhecer o Sol
É preciso de um para ter o outro

E não é preciso de tempo algum para se apaixonar (fall in love)
Mas é preciso anos para saber oque é o amor (love)
E é preciso algum medo para você confiar
É preciso daquelas rachaduras para se enferrujarem
É preciso do pó para se polir

Ah la la la la la la a vida é maravilhosa
Ah la la la la la la a vida é um circulo completo
Ah la la la la la la a vida é maravilhosa
Ah la la la la

É preciso do silencio para se fazer o som
E é preciso perder antes de achar algo
E é preciso um caminho para se ir nenhum lugar
É preciso uma taxa para você se importar
É preciso um buraco para ter uma montanha

Ah la la la la la la a vida é maravilhosa
Ah la la la la la la a vida é um círculo completo
Ah la la la la la la a vida é maravilhosa
Ah la la la la la la a ida é cheia de significados
Ah la la la la la la a vida é maravilhosa
Ah la la la la la la it is so... maravilhosa
Tão significativa
Tão maravilhosa
Significativa
Maravilhosa
Significativa
É um círculo completo
Maralhivosa
Significativa
Círculo Completo
Maravilhosa

quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

... e o sol reapareceu

A mensagem abaixo recebi por e-mail essa manhã. Leia e veja se o que eu digo sobre a benção numa tragédia não é verdade!

Meus amigos,

Hoje 27 de novembro de 2008 o sol saiu e conseguimos voltar a trabalhar. A despeito de brincadeiras e comentários espirituosos normais sobre esta "folga forçada" a verdade é que nunca me senti tão feliz de voltar ao trabalho. Não somente pelo trabalho, pela instituição e pela própria tranqüilidade de ter aonde ganhar o pão, mas também por ser um sinal de que a vida está voltando ao normal aqui na nossa Itajaí.

As fotos que circulam na internet e os telejornais já nos dão as imagens claras de tudo que aconteceu então não vou me estender narrando e descrevendo as cenas vistas nestes dias. Todos vocês já sabem de cor. Eu quero mesmo é falar sobre lições aprendidas.

Por mais que teorias e leituras mil nos falem sobre isso ainda é surpreendente presenciar como uma tragédia desse porte pode fazer aflorar no ser humano os sentimentos mais nobres e os seus instintos mais primitivos. As cenas e situações vividas neste final de semana prolongado em Itajaí nos fizeram chorar de alegria, raiva, tristeza e impotência. Fizeram-nos perder a fé no ser humano num segundo, para recuperar-la no seguinte. Fez-nos ver que sempre alguém se aproveitará da desgraça alheia, mas que também é mais fácil começar de novo quando todos se dão as mãos.



Que aquela entidade superior que cada um acredita (Deus, Alá, Buda, Gadu etc.) e da forma que cada um a concebe tenha piedade daqueles:

- Que se aproveitaram a situação para fazer saques em Supermercados, levando principalmente bebidas e cigarros

- Que saquearam uma farmácia levando medicamentos controlados, equipamentos e cofres e destruindo os produtos de primeira necessidade que ficaram assim como a estrutura física da mesma.

- Que pediam 5 reais por um litro de água mineral.

- Que chegaram a pedir 150 reais por um botijão de gás.

- Que foram pedir donativos de água e alimentos nas áreas secas pra vender nas áreas alagadas.

- Que foram comer e pegar roupas nos centros de triagem mesmo não tendo suas casas atingidas.

- Que esperaram as pessoas saírem das suas casas para roubarem o que restava.

- Que fizeram pessoas dormir em telhados e lajes com frio e fome para não ter suas casas saqueadas.

- Que não sentiram preocupação por ninguém, algo está errado em seu coração.

- Que simplesmente fizeram de conta que nada acontecia, por estarem em áreas secas.

Da mesma forma, que essa mesma entidade superior abençoe:

- Aqueles que atenderam ao chamado das rádios e se apresentaram no domingo no quartel dos bombeiros para ajudar de qualquer forma.

- Os bombeiros que tiveram paciência com a gente no quartel para nos instruir e nos orientar nas atividades que devíamos desenvolver.

- A turma das lanchas, os donos das lanchinhas de pescarias de fim de semana que rapidamente trouxeram seus barquinhos nas suas carretas e fizeram tanta diferença.

- À equipe da lancha, gente sensacional que parecia que nos conhecíamos de toda uma vida.

- Aos soldados do exército do Paraná e do Rio Grande do Sul.

- Aos bravos gaúchos, tantas vezes vitimas de nossas brincadeiras que trouxeram caminhões e caminhões de mantimentos.

- Aos cadetes da Academia da Polícia Militar que ainda em formação se portaram com veteranos.

- Aos Bombeiros e Policias locais que resgataram, cuidaram , orientaram e auxiliaram de todas as formas, muitas vezes com as suas próprias casas embaixo das águas.

- Aos Médicos Voluntários.

- Às enfermeiras Voluntárias.

- Aos bombeiros do Paraná que trabalharam ombro a ombro com os nossos.

- Aos Helicópteros da Aeronáutica e Exercito que fizeram os resgates nos locais de difícil acesso.

- Aos incansáveis do SAMU e das ambulâncias em geral, que não tiveram tempo nem pra respirar.

- Ao pessoal do Helicóptero da Polícia Militar de São Paulo, que mostrou que longo é o braço da solidariedade.

- Ao pessoal das rádios que manteve a população informada e manteve a esperança de quem estava isolado em casa.

- Aos estudantes que emprestaram seus físicos para carregar e descarregar caminhões nos centros de triagem.

- Às pessoas que cozinharam para milhares de estranhos.

- Ao empresário que não se identificou e entregou mais de mil marmitex no centro de triagem.

- A todos que doaram nem que seja uma peça de roupa.

- A todos que serviram nem que seja um copo de água a quem precisou.

- A todos que oraram por todos.

- Ao Brasil todo, que chorou nossos mortos e nossas perdas.

- Aos novos amigos que fiz no centro de triagem, na segunda-feira.

- A todos aqueles que me ligaram preocupados com a gente.

- A todos aqueles que ainda se preocupam por alguém.

- A todos aqueles que fizeram algo, mas eu não soube ou esqueci.



Há alguns anos, numa grande enchente na Argentina um anônimo escreveu isto:




COMEÇAR DE NOVO

Eu tinha medo da escuridão
Até que as noites se fizeram longas e sem luz
Eu não resistia ao frio facilmente
Até passar a noite molhado numa laje
Eu tinha medo dos mortos
Até ter que dormir num cemitério
Eu tinha rejeição por quem era de Buenos Aires
Até que me deram abrigo e alimento
Eu tinha aversão a Judeus
Até darem remédios aos meus filhos
Eu adorava exibir a minha nova jaqueta
Até dar ela a um garoto com hipotermia
Eu escolhia cuidadosamente a minha comida
Até que tive fome
Eu desconfiava da pele escura
Até que um braço forte me tirou da água
Eu achava que tinha visto muita coisa
Até ver meu povo perambulando sem rumo pelas ruas
Eu não gostava do cachorro do meu vizinho
Até naquela noite eu o ouvir ganir até se afogar
Eu não lembrava os idosos
Até participar dos resgates
Eu não sabia cozinhar
Até ter na minha frente uma panela com arroz e crianças com fome
Eu achava que a minha casa era mais importante que as outras
Até ver todas cobertas pelas águas
Eu tinha orgulho do meu nome e sobrenome
Até a gente se tornar todos seres anônimos
Eu não ouvia rádio
Até ser ela que manteve a minha energia
Eu criticava a bagunça dos estudantes
Até que eles, às centenas, me estenderam suas mãos solidárias
Eu tinha segurança absoluta de como seriam meus próximos anos
Agora nem tanto
Eu vivia numa comunidade com uma classe política
Mas agora espero que a correnteza tenha levado embora
Eu não lembrava o nome de todos os estados
Agora guardo cada um no coração
Eu não tinha boa memória
Talvez por isso eu não lembre de todo mundo
Mas terei mesmo assim o que me resta de vida para agradecer a todos
Eu não te conhecia
Agora você é meu irmão
Tínhamos um rio
Agora somos parte dele
É de manhã, já saiu o sol e não faz tanto frio
Graças a Deus
Vamos começar de novo.


Anônimo

É hora de recomeçar, e talvez seja hora de recomeçar não só materialmente. Talvez seja uma boa oportunidade de renascer, de se reinventar e de crescer como ser humano.

Pelo menos é a minha hora, acredito.
Que Deus abençoe a todos.


Luis Fernando Gigena

domingo, 30 de novembro de 2008

S.O.S SANTA CATARINA


Já faz uma semana que os Catarinenses sofrem com a devastação que as chuvas constantes no Estado causou. Elas arruinaram diversas cidades, em especial as do Vale do Itajaí. Os prejuízos materiais são calculáveis, mas as perdas humanas não. Pessoas perderam TUDO: o que acreditavam serem seus, a "água levou". Alguns, se perguntam: "Onde está Deus que permite que tanta desgraça aconteça?" Outros afirmam: "Isso é a reação do Planeta às nossas agressões!" E o que importa saber? Não vai adiantar perder tempo com essas discussões. Pessoas estão com FOME, SEM CASA, SEM BANHO, SEM ROUPA! Cidades estão devastadas, destruídas. A Blumenau que eu conheci no princípio desse ano é apenas uma sombra - acabei de ouvir isso de uma das mais ilustres cidadãs de Blumenau (por ilustre, entenda-se uma pessoa que já fez muito pelo bem comum nesta cidade numa situação tão crítica quanto essa no ano de 1984).

Diferentemente de há mais de 20 anos atrás, dispomos de veículos de comunicação muito mais ágeis: a internet permitiu que ficássemos sabendo de TUDO em tempo REAL. E ajuda real - GRAÇAS A DEUS, graças a todas as pessoas, aos homens de boa vontade que abriram suas portas à Solidariedade - está chegando...

Uma tragédia como essa, servindo para nos transformar em seres (verdadeiramente) humanos - pois a solidariedade, a vontade de ajudar e servir é tão humanizante! - numa sociedade consumista e voltada para o egoísmo pode ser vista como uma benção. Não acredito que o Planeta ou Deus estejam se vingando e mostrando sua "ira" contra o homem. Acho que tudo tem um propósito de nos ensinar: lições que já sabíamos e que estavam apenas esquecidas!

Repassando:

AJUDE SC:

SAIBA ONDE ENCONTRAR O PONTO DE COLETA DE DONATIVOS MAIS PRÓXIMO DE VOCÊ!!

maps.google.com/maps/ms?ie=UTF8&hl=en&msa=0&m...

São de extrema necessidade os seguintes produtos:

- Cobertor, travesseiros, roupas de cama

- Colchões

- Roupas

- Leite em pó

- Fraldas de todos os tamanhos

- Pomadas para assadura

- Produtos de higiene para crianças e bebês

- Alimentos infantis não perecíveis

- Produtos de higiene pessoal

- Galões ou garrafinhas d’água.

A Secretaria Municipal de Assistência Social (Semascri) informa que ainda é necessária a presença de mais voluntários para trabalhar nos abrigos de Blumenau. No momento, falta mão-de-obra para realizar diversas tarefas tais como o cadastramento das famílias abrigadas e a separação de itens doados para a Fundação Pró-Família. Quem tiver interesse em participar deve entrar em contato com a Semascri pelos telefones (47) 9983-2127, (47) 9604-7726 e (47) 9943-0354.

Fonte: allesblau.net

Inscreva-se AQUI:

voluntariosonline.org.br/pt-br/oportunidades/visualizar/1778

www.blumenau.sc.gov.br/defesa/voluntario/ficha.asp

a TAM CARGO confirmou a informação de que está, de fato, arrecadando donativos e encaminhando por via aérea gratuitamente até a cidade de Navegantes/SC.

As doações podem ser feitas até 05/12 nos terminais da TAM Cargo - www.tamcargo.com.br/ste/jsp/default.jhtml?adPagina=493&am...

Poderam ser encaminhados alimentos não-perecíveis, roupas, água mineral, etc...

Fonte: Mauro Rabelo

Os devotos de Blumenau/SC estão fazendo um trabalho com as pessoas que estão em abrigos, levando o Maha Mantra e distribuindo prasadam! Quem puder ajudar colaborando com qualquer quantia para que esse trabalho continue, afinal são quase 80.000 desabrigados, e por menor que seja o trabalho dos devotos, as pessoas estarão levando algo muito importante para suas vidas: serviço devocional. Haribol!

Banco HSBC
Ricardo Luiz Beduschi
Conta Corrente: 33698-23
Agência: 0128


Fonte: Bhagavati (devota de Blumenau/SC)

Nós precisamos da ajuda de todos, pois estamos fazendo o que podemos para salvar os animais!

Precisamos muito de doações de ração e potes para água e para comida. Tanto para o canil quanto para os da rua.

Devido a essa situação triste e lamentável, muitos animais estão precisando de ajuda urgente! Muitos animais morreram e muitos outros podem morrer se não forem ajudados!

Sabemos que existem muitas pessoas precisando de ajuda e socorro urgentes, mas os animais também precisam de nosso socorro! Eles não tem como pedir socorro, não podem se ajudar sozinhos! Não falam mas sentem como nós!

Por isso, quem puder ajudar os animais, ajude! Dêem comida aos que verem nas ruas, abriguem os perdidos, tentem salvar os que estão em casas ilhadas, enfim, salvem esses seres desesperados, com medo, fome, frio, saudades da família... AJUDEM!!!

Em ITAJAÍ a situação é crítica! Muitos animais ilhados precisam ser resgatados ou ao menos levar comida para eles! Eles não estão podendo ser levados nos barcos.

Pedimos a todos que puderem, ajudem os animais de sua cidade principalmente em ITAJAÍ! Façam algo por eles! Não deixem morrer por falta de comida, afogados... cães, gatos, cavalos, enfim, qualquer animal... AJUDEM!!!

Informamos ainda que os animais que estão no CANIL estão todos bem!


Doações em ITAJAÍ:
Roberto: (47) 9928-2222

Doações em BALNEÁRIO CAMBORIÚ:
Clínica Veterinária Pet Center - Rua 700 (entre a 3a e a 4a avenidas)
Posto de Combustível da 3a Avenida esquina com a Rua 2500

Doações em BRUSQUE: anapaulaludin@gmail.com

Informações: (47) 9975-2625 ou vivabichobc@yahoo.com.br

Site: www.vivabicho.org.br

Fonte: Ana Paula Ludin


O cartaz da campanha foi criado pelo webdesigner Ricardo Müller

Essas e muitas outras informações estão no site: Allesblau.net

No Twitter: #Blumenau, #SC, #Allesblau


Grandes nomes da MPB se unem no show SOS Santa Catarina, promovido pela TV Cultura

Ed Motta, Chico César, Fabiana Cozza, Simoninha, Jairzinho Oliveira, Lecy Brandão, DJ Thayde, Inimigos da HP, Cláudio Zoli, Inezita Barroso, Yamandu Costa, César Menotti e Fabiano, turma do Cocoricó e apresentadores da emissora se unem no Anhembi para prestar apoio às vítimas das enchentes em Santa Catarina.

Para participar do show, você só precisa trazer uma garrafa de água mineral ou um cobertor. O estacionamento será gratuito.

O evento será transmitido ao vivo pela TV Cultura a partir das 20h e pela internet a partir das 18h.

Domingo, 30 de novembro a partir das 20h
Grande Auditório - Portão 34
Anhembi - São Paulo
Estacionamento gratuito
Os portões serão abertos a partir das 18h.


Amanhã é o primeiro dia do mês de dezembro... O mês do Natal e o último do ano. Naturalmente, todos ficamos sensibilizados com a chegada de uma data tão importante do calendário cristão. Paz na Terra aos homens de boa vontade... Que não sejam meras palavras!

Beijos e um ÓTIMO DEZEMBRO!

quinta-feira, 20 de novembro de 2008

Island of life


Há muitos anos atrás, uma pessoa que eu amei profundamente me apresentou para o Kitaro. Mas quando eu conheci o álbum que contém essa música, ela já não fazia mais parte da minha vida. Ouvi essa música repetidas vezes numa época agora remota da minha existência. Eu não sabia nada de música naquela época. Hoje, o pouco que sei eu devo a outra pessoa que amo profundamente e que já me apresentou muitas outras coisas maravilhosas. Essa eu quero que fique pra sempre, pra sempre e sempre!

Hoje me deu vontade de ouví-la novamente! Espero que você que veio me visitar também goste!

Uma boa quinta! ;)

Island of Life

She sees me
She understands
She helps
With all of my fears
When we stand together for life
Who will hold a child
In her arms

She reaches out
So many friends
Who seek to live this world
When we stand together for life
She will hold a child
In her arms

Chorus:
Without woman
Earth would fade and die
Without woman
Who am I
Who am I
On this Island of Faith
Who am I
On this Island of Life
You are the Sea
You are the Sky
You are the Ocean
I am the Earth
I am the Island of your Love

She listens
Se understands
For those searching for truth
We will stand together for life
We will hold a child
In our arms

Chorus

She sees me
She understands
She helps
With all of my fears
When we stand together for life
She will hold a child
In her arms

Chorus

Dreams are the understanding of life
Dreams are the understanding of love

sábado, 15 de novembro de 2008

Paciência

Em homenagem ao post do Alma Peregrina (da Jini):



Mesmo quando tudo pede um pouco mais de calma
Até quando o corpo pede um pouco mais de alma
A vida não para

Enquanto o tempo acelera e pede pressa
Eu me recuso faço hora vou na valsa
A vida e tão rara

Enquanto todo mundo espera a cura do mal
E a loucura finge que isso tudo é normal
Eu finjo ter paciência

O mundo vai girando cada vez mais veloz

A gente espera do mundo e o mundo espera de nós
Um pouco mais de paciência

Será que é o tempo que lhe falta pra perceber
Será que temos esse tempo pra perder
E quem quer saber
A vida é tão rara (Tão rara)

Mesmo quando tudo pede um pouco mais de calma
Mesmo quando o corpo pede um pouco mais de alma
Eu sei, a vida não para (a vida não para não)

Será que é tempo que me falta pra perceber
Será que temos esse tempo pra perder
E quem quer saber
A vida é tão rara (tão rara)

Mesmo quando tudo pede um pouco mais de calma
Até quando o corpo pede um pouco mais de alma
Eu sei,a vida não para (a vida não para não... a vida
não para)

quarta-feira, 12 de novembro de 2008

If tomorrow never comes

Eu não gosto de reality shows. Não gosto do que está por detrás deles - as intenções, a exploração da imagem e como as pessoas são capazes de TUDO para aparecer. Hoje em dia, aparecer é uma questão de sorte. A Marimoon era uma ilustre desconhecida antes de ir ser VJ da MTV. E eu freqüentava o blog dela HÁ MUITO MUITO TEMPO, bem antes disso. Ela é simpática, tem carisma - o cabelo colorido mais legal q eu já tinha visto até então, mas logo conheci muita gente que também tinha madeixas coloridas formidáveis igualmente! inclusive, eu, depois... Hoje ela é uma "estrela" e todos a conhecem. Quanto tempo isso vai durar?

Quem se lembra do "Pica-Pau" - O Leandro do primeiro Ídolos? Ninguém. O menino tinha voz. O menino tinha carisma, tinha talento. Cadê ele? Cadê? Todo mundo ficou nas risadas, no sarro que era ver as pessoas bizarras tentando aparecer. Mas quem realmente tem talento caiu no esquecimento...

O X-Factor - o Ídolos britânico - revelou um cantor que eu gosto bastante e que ninguém conhece. Não sei se lá ele realmente é querido ou se aconteceu com ele o que houve com o Leandro. Seu nome é Shayne Ward. Ele é jovem, bonito e tem uma voz bem doce que combina com as músicas que ele escolhia para cantar. Amo a interpretação dele de uma canção que eu adoro chamada No promises. No repertório, ele selecionou uma das canções que está no meu Top 10 das mais lindas do mundo: If tomorrow never comes. Eu não conhecia essa música (porque eu nunca curti muito country music) até o dia em que um amigo que fiz através do Soulseek a enviou para mim. Composta originalmente por Garth Brooks., fez um tremendo sucesso e até o Renato Russo a gravou! Estilo musical à parte, a letra da música é um primor! Ela fala diretamente ao meu coração porque comigo já aconteceu de não ter dito o quanto eu gostava de uma pessoa antes dela morrer... Eu não imaginei que seria a última vez que a veria... E não disse... E até hoje lamento! Na voz de Shayne, a música ficou doce, muito doce! Mas ainda prefiro a versão original... Como não a encontrei, espero que vejam e ouçam-na interpretada por Shayne no Programa.



A letra traduzida:

Se o amanhã nunca chegar

Às vezes, tarde da noite,
Eu fico deitado desperto e observo-o dormir.
Ele está perdido em sonhos tranqüilos,
Então eu apago as luzes e permaneço lá no escuro
E o pensamento atravessa minha mente:
Se eu nunca acordar de manhã,
Ele algum dia duvidaria do modo como eu me sinto
A seu respeito em meu coração?

Se o amanhã nunca chegar,
Ele saberá o quanto eu o amava?
Eu tentei de todas maneiras mostrar-lhe todo dia
Que ele é o único para mim?
E se meu tempo na terra estivesse terminado
E ele tivesse de enfrentar o mundo sem mim,
O amor que eu lhe dei no passado
Terá sido suficiente para durar
Se o amanhã nunca chegar?

Porque eu perdi pessoas amadas em minha vida
Que nunca souberam o quanto eu as amava.
Agora eu vivo com o remorso
Que os meus verdadeiros sentimentos por eles
Nunca foram revelados.
Então eu fiz uma promessa a mim mesmo:
De dizer, a cada dia, o quanto ele significa para
Mim,
E evitar a circunstância
Onde não haja uma segunda chance de dizer-lhe
Como eu me sinto.

Então diga para aquele alguém que você ama
Exatamente o que você está pensando.
Se o amanhã nunca chegar...

segunda-feira, 3 de novembro de 2008

Indecisão


Não sou geminiana, mas no meu mapa - não sei exatamente dizer onde está a influência - lá está a causa de tanta indecisão... Ariana típica, eu teria que tomar decisões até mesmo sem pensar e ponto final! Mas não é assim que eu funciono. Eu penso mil vezes elevado a mol (adorei essa potencialização que aprendi com Djuli) antes de me decidir. Não me refiro a roupa que vou usar - isso eu penso com antecedência - mas em decisões importantes que eu devo tomar na vida. É a vibração do 8 de espadas - a sensação de não saber o que fazer, de estar sob pressão.

Eu tenho aprendido uma coisa com essas experiências praticamente diárias - tenho que tomar decisões importantes muito rápido, sem muito tempo pra pensar - que quando a razão não tem a resposta, você a encontra numa espécie de voz intuitiva que vem de dentro. Não há explicação para ela, você apenas escolhe - sigo ou não? Certas ou erradas, só o tempo vai dizer. Mas eu garanto que quando você escolhe confiando, os resultados são surpreendentes!

Boa semana! ;)

terça-feira, 28 de outubro de 2008

Só as mães são (in)felizes



Alguém já parou pra pensar nos versos de Cazuza: Só as mães são felizes? Se a gente presta atenção na letra o que é que realmente ele quis dizer? As mães são felizes - por não terem passado por tudo que ele passou (porque são mães, distintas e respeitáveis - de família!) - ou infelizes (por verem seus filhos sofrendo, por sofrerem a dor do parto e às vezes terem que ver seus filhos partindo)?

Sim, são felizes. Porque só elas têm o poder mais próximo do poder Divino: o poder de gerar uma vida de dentro de si - e destruí-la. A sociedade criou clichês "adoráveis" para a maternidade: "ser mãe é padecer no paraíso", "mãe só tem uma", "mãe é mãe" (e não discuta com elas!). Penso que nós mulheres ocidentais - consciente ou inconscientemente - desejamos tão avidamente sermos mães por essa única razão: tentar recuperar a auto-estima que nos foi espoliada por nossa cultura judaico-cristã. Desejamos ter um filho para sermos iguais a Deus. Quando nasce o nosso bebê, nos sentimos o máximo: Ah, finalmente terei o amor que eu nunca poderei ter de ninguém; criei um laço indissolúvel - nem a morte muda o fato de que meu filho é MEU filho - e o meu amor é o mais sublime de todos! E brincamos de Deus transformando nossas meninas em bonecas e nossos meninos em bibelôs. Fazemos todas suas vontades em troca de destruir-lhes a própria (força de) vontade - para que eles nos obedeçam (afinal, o que vão pensar de mim se meus filhos forem um "malcriados"?). EU SOU SUA MÃE, é o que elas mais gostam de dizer. Por que? Pros filhos nunca esquecerem (como se isso fosse possível)! Só uma mãe tem essa suprema felicidade - têm o poder de oprimir, magoar, maltratar, destruir um ser humano - tanto quanto o de dar liberdade, curar, cuidar e construir um verdadeiro ser humano.

As mães realmente são muito infelizes. Porque esse poder tem seu preço. Essa responsabilidade é uma carga pesada demais. Aliás, todos os erros dos filhos são culpa da mãe. Toda falta, toda maldade, toda crueldade de uma criatura: a mãe é a culpada. E de novo a culpa, a maldita culpa bíblica, recai sobre nós mulheres. Não há como fugir disso. Sendo mães, seremos sempre culpadas.

Por que ninguém entende que "ser mãe" não é nada assim tão importante? Porque "ser mãe" (me refiro a gerar um filho na barriga, parir e criar como "manda o figurino") não significa absolutamente nada diante do verdadeiro propósito da maternidade, algo que somente nós mulheres poderemos alcançar com essa experiência: sermos capazes de amar incondicionalmente. O amor que uma mãe pode dar (independentemente do que ela pode receber) é justamente aquilo que pode nos tornar definitivamente mais próximas Daquela Força Inominável Por Detrás de Todas as Coisas. Talvez seja por isso que enquanto filhos esperamos tanta manifestação amorosa de nossas mães, muito mais que a de nossos pais. Queremos que ela nos exemplifique, que ela nos mostre - sem ressalvas e sem limites - esse amor indescritível que ninguém no mundo inteiro tem para oferecer senão ela!

Assim, minhas amigas - sim, porque é para vocês que eu estou falando hoje! -, sendo mães, seremos felizes ou infelizes na mesma medida em formos capazes de fazer com que nossos filhos conheçam o Amor Profundo Que Permeia o Universo Inteiro!





À propósito da referência, deixo pra vocês asisstirem um trecho de depoimentos de Cazuza.

sábado, 25 de outubro de 2008

Entusiasmo

Uma semana sem escrever. Uma semana cheia de coisas pra fazer. E o que eu fiz? Fiz o nada que eu queria fazer há muito tempo! Um*entusiasmo me dominou no ínicio da semana e muito rapidamente ele foi ziguezagueando dentro de mim e agora não sei o que fazer com ele...

Há muitos anos, eu vi num programa de entrevista que eu assistia com freqüência à tarde uma pessoa dizendo que etimologicamente a palavra entusiasmo quer dizer Deus dentro. Pensando nas sensações físicas e psicológicas causadas por ele, sim... Eu realmente penso que é como se houvesse mesmo um Deus Interno que guia nossos passos e nos faz tomar atitudes que sem Ele não teríamos coragem. Uma força sobrevém e tudo começa a acontecer!

Eu ainda estou na montanha russa. Algumas lembranças que me vieram essa semana me fizeram retomar um problema sério da minha vida. Eu bem que tentei fazer terapia psicanalística, mas o analista era um boçal! Assim, vou ficando na minha auto-análise mesmo.

Hoje eu li no blog da Jini aquele texto do Rubem Alves sobre o que acontece para que a ostra possa produzir uma pérola e me lembrei de uma teoria que eu formei a partir disso. A gente às vezes tem um complexo de ostra: ficar fechado em concha, sem dividir com ninguém nossas dores. E são elas - as dores - que provocam em nós esse desejo de fazer algo de bom, algo de positivo pra mudar a situação (produzir a pérola). Mas tem gente que mesmo criando uma linda pérola a ignora e não a compartilha com ninguém. Você consegue pensar que para tirar uma pérola da ostra é preciso arrancá-la? Bem, eu penso que se eu produzo uma pérola - uma coisa linda que trará felicidade e sorrisos para aqueles a quem eu puder oferecê-la - devido à minha própria natureza, vou querer oferecê-la e não trancá-la dentro de mim!

Desse modo, quero pedir a vocês que torçam para que a minha pérola fique maravilhosa e que eu possa compartilhá-la com todos!

Beijos e bom fim de semana!

*Entusiasmo: do Gr. enthousiasmós, inspiração divina
s. m., excitação da alma, quando admira excessivamente; exaltação das faculdades da alma que torna sublimes os escritores, os oradores e os artistas; arrebatamento, paixão viva; alegria ruidosa.

sábado, 18 de outubro de 2008

Wedding Day - Hoje tem Casamento!


Num mundo de descasados como é o nosso, impressionante como ainda tem gente que se dispõe a fazer o dia do casamento um dia de sonho. A noiva hoje é a Princesa. E o noivo, o Príncipe. Estão todos se preparando para o grande dia... Pais, mães, tios, tias, primos, avós... Todos se arrumando para celebrarem a união de duas pessoas familiares.

Quem se casa hoje é meu segundo primo. Meu irmão mais velho foi o primeiro neto da família. Anos depois, nasceu meu primeiro primo. Depois fui eu. E depois de mim, esse meu priminho que vai casar. Eu adoro ele, o André! Ele tem um coração de ouro, esse menino. Ele era um bebê tão lindo! Tinha o cabelo tão branquinho, parecia uma nuvem. Era um bebê rechonchudo... E uma criancinha linda também. Hoje lembro da nossa infância, dos nossos brinquedos de meninos... Puxa, o tempo voa! A noiva dele é uma moça adorável! Realmente, ela tem tudo de princesa. E eu tenho certeza de que hoje à noite ela vai estar linda.

Eu fico muito emocionada. Sei que casamento (cerimônia com festa) hoje em dia é uma bobagem. Gasta-se horrores com festa, buffet, roupa, viagem, tudo em torno de uma coisa que talvez daqui há anos não signifique mais nada. Essa semana soube que alguém com quem eu iria me casar se descasou. Eu sofri tanto quando ele me deixou pra ficar com ela... E agora? Eu fico pensando que a descasada hoje poderia ter sido eu. Foi melhor assim; as dúvidas a esse respeito se esvanceram há muitos e muitos anos! Minha mãe, minhas tias, todas descasadas! E gente casada fingindo se gostar pra manter as aparências! Mesmo assim, eu acredito no casamento. Por que? Poderia listar vários motivos, mas se resumem num só: sou uma romântica incurável! Adoro filme de casamento! Adoooooooooooooro! Já perdi a conta de quantas vezes vi Bridget Jones (1 e 2). Aliás, isso vai ser tema de um futuro post: melhores filmes de casamento - top 10, com direito a resenha e estrelinhas, que tal? Assim, se eu me casar, pessoas, vai ser pra vida toda. Eu não me casarei para descasar. Prefiro morrer solteira. Digam o que disserem, cobrem de mim isso o quanto quiserem. Só me caso por muito amor! Quando? Quem sabe...

Deixo pra vocês um clip hiper romântico de um casal famoso: Heidi (a super model da Victoria Secrets) e Seal (o cantor). Eu costumo dizer que eu entrarei na igreja ao som de Bittersweet Symphony, mas essa canção é perfeita para um casamento!

Beijos, niños e niñas!

Wedding Day
[Seal]
Today, I give it, all to you,
On this day we recall the memories,
Of what we're goin' through,

[Heidi]
This day, we're gonna win it,
Givin' you all above,
Many minds will recall with us tommorrow,
Followin' our love,

[Seal]
In my heart a place,
A most special place,
And it's all for you,
You're my girl, you're my, angel,

[Seal & Heidi]
The will's the same for us,
Honey they can't be wrong,
Cause everybody knows it was hard to break the sorrow,
Then you came along,

[Seal & Heidi]
In my heart, a place,
A most special place,
And it's all for you,
You're my girl, you're my angel, you're my girl

Oo ooh, aa aah, oo ooh, oo oo oo ooh, oooh and you're the one,

[Seal]
In my heart, a place,
A most special place,
And it's all for you,
And it's all for you,

[Seal & Heidi]
In my heart, a place, and it's all for you,
A most special place, and it's all for you,
And it's all for you,
You're my girl,
You're my heaven, you're my world,

[Seal & Heidi]
In my heart, a place, and it's all for you,
A most special place, and it's all for you,
And it's all for you,
You're my girl,
You're my angel, you're my girl

domingo, 12 de outubro de 2008

Better

Essa semana que passou foi difícil. Peguei um resfriado que me deixou de cama!... Eu, como boa ariana, lutei bravamente e cá estou: melhor.

Eu interpreto as circunstâncias dessa forma: tudo é um desafio para que a gente alcance o melhor: uma saúde melhor, uma idéia melhor, uma vida melhor, enfim... Deveríamos estar abertos para essas experiências com espírito de aprendiz. Tudo é para nos ensinar... Tudo!

À propósito disso que vou contar agora - e não o contrário, como o início deste post dá a entender - eu vim compartilhar o vídeo de uma canção linda chamada Better. O cantor é inglês: de Suffolk (região da Cornuália). Seu nome: Tom Baxter. Ele já está na estrada desde 2004, mas seu último álbum ganhou boas posições nas paradas inglesas em 2007. A canção é singela, bem no estilo das composições do filme "Once" (que ganhou o Oscar de melhor canção original esse ano) e muito parecido com Damien Rice. Seria esse um estilo novo? Parece indie... Mas seria necessário uma categoria especial dentro do indie para classificá-la com propriedade. O clip dessa música é tão adorável! Compartilho com vocês!



Que tenham uma semana MELHOR!

quarta-feira, 8 de outubro de 2008

Nos braços da Mãe Durga


"Saudações a Divina Mãe Durga, que existe em todos os seres na forma de inteligência, misericórdia, beatitude, que é a consorte do Senhor Siva, quem cria, sustenta e destrói todo o universo".


É da natureza humana cultuar símbolos. Ou externar sentimentos e pensamentos pela linguagem simbólica. É uma grande falta de compreensão dizer que os hindus adoram vários Deuses. A cultura judaico-cristã é intolerante com o entendimento dessa linguagem simbólica. O que o cristão chama "Deus" é expresso pelos hindus em várias formas, com seus infinitos atributos. Para eles, Deus pode ser adorado de diversas formas. Recorrer à Deus numa determinada forma, numa que seja adequada à situação vivenciada, não é apenas natural como muito reconfortante. Deus numa forma feminina, poderosamente protetora é um bálsamo para um devoto cansado e entristecido pelas experiências mundanas. Assim, não poderia querer estar em melhor lugar que nos braços da Divina Mãe Durga.


Durga em sânscrito significa Força (A Invencível) ou Lugar protegido de todo mal (A Inacessível). Durga está sempre agindo a favor de seus devotos contra todo mal. O simbolismo de suas vestes, sua montaria (um tigre ou leão), seus inúmeros braços é bastante complexa. Mas explicações são irrelevantes se não existe entrega. Explicações satisfazem a mente e aquietam precariamente o coração, mas não o espírito. Em essência, sabemos que há algo além de qualquer explicação, algo que transcende a tudo e a todos... Dizem que no Durga Puja (setembro-outubro), o devoto que fizer com fervor e sinceridade um pedido à Divina Mãe Durga será abençoado por sua Doce Misericórdia, sob sua Amorosa Proteção. Ao que tudo indica, esse dia é HOJE. Façamos então um pedido sincero com o coração fervoroso e confiante na Mãe!

segunda-feira, 6 de outubro de 2008

Terapia do Origami de Estrelinha

Meus amigos queridos que me acompanham de perto (mesmo de longe) sabem o momento turbulento que estou passando. E tudo passa. Isso é certo... Tão certo como a morte vai chegar pra todos e pra cada um. Eu ando melancólica, eu ando triste, eu ando saudosa, eu ando com medo. Mas a cada passo que eu sou convidada a dar, eu ergo meus pés do chão e sigo. Não tenho outra opção melhor do que essa!

Quando estive no Rio, eu conheci a Angel (Angélica - do blog By Angel). Ela, junto com a Adrika, são amigas blogueiras de longa data. O "acaso" sempre me levou pra mais perto da Adrika, uma pessoa que eu amo do mais fundo do coração. A Angel é um docinho... Nos falamos pouco, mas ela sempre foi gentil e tem hábitos e gostos bastante parecidos com os meus. Acho que é o que nos aproxima a todos, afinal... Eu levei pra ela uma lembrancinha da Adrika - papéis pra origami de estrelinha. Eu e a Dafne fomos até a casa dela juntas. Vimos o cantinho dela, a cachorrinha e a Blythe dela. Ela nos ensinou como fazer a estrelinha de papel. A Dafne é mais jeitosa que eu e aprendeu muito mais rápido. Depois de muito treino, consigo fazer belas estrelinhas agora! Ah, que delícia! A gente pega uma tirinha e pensa: "é só mais essa"! Que nada! Num piscar de olhos a gente faz umas cem! Só tem um probleminha: o papel está acabando! E aqui em BH, no único lugar que vende, está em falta! T__T


Então, pessoinhas queridas! Eu vasculhei na net e achei uma loja sensacional: Gana Presentes. Fica no Bairro Paraíso, mas eles têm uma loja virtual (Origami Coreano). Os preços são bons e a entrega é rápida (especialmente se for via Sedex). Eu paguei num dia de manhã e em menos de 24 horas minha encomenda já estava comigo.


Quer aprender? Veja o passo-a-passo:


Fonte: Sonho Lilás


Eis as fotos das estrelinhas que eu tou fazendo...








Uma ótima semana pra todo mundo! v^_^v

terça-feira, 30 de setembro de 2008

Canja de Galinha para Alma



Parece título de livro de auto-ajuda, né? (Na verdade, existe mesmo um livro com esse nome...) Mas é que às vezes isso é fato: precisamos de um carinho, um afago, algo que ajude a levantar o astral. Eu me sinto como se estivesse numa montanha russa enorme e louca. De um segundo para o outro, desço das nuvens ao abismo e vice-versa. Isso tem me deixado, além de exausta, um tanto quanto ansiosa para ter minha (pseudo)tranqüilidade de volta. Esses ups&downs têm também me causado aquela tristezazinha que beira à depressão. Aquela que vai fazendo com que a gente não tenha ânimo para fazer as coisas mais banais - pentear o cabelo, escovar os dentes e (no nível mais crítico) tomar banho... Graças a Deus, eu realmente não permito que esses níveis se elevem a tal ponto. O máximo que me acontece é uma dor de cabeça chata que preciso sempre medicar para não virar enxaqueca insuportável e uma falta de humor - que não é mal-humor; é bem diferente...

Entre outras coisas que faço para aliviar esse mal-estar, costumo sempre ouvir música - independentemente do meu estado de espírito. Convivo há anos com uma pessoa que não vive sem música. E assim eu passei também a ser uma addicted, digamos assim. Raramente faço alguma coisa sem estar ouvindo uma música. E é ela que tem sido minha Canja de Galinha da Alma! Tenho um gosto bem eclético, mas bastante singular, como podem notar pelos realeases que costumo escrever. E hoje eu vim receitar duas canções que seguramente tiram qualquer um da depressão:

1º) FRIDAY I'M IN LOVE - THE CURE: Eu ouvi de verdade essa canção numa manhã depois de ter vivido um dos meus piores pesadelos - e, acreditem-me, já vivi VÁRIOS DELES na real! Simplesmente acordei ao som dessa canção cujo vídeo estava passando na MTV, de manhã bem cedo, antes de todos acordarem. Eu senti como se tivesse acabado de tomar uma injeção de ânimo, um alento, uma disposição para começar do zero, mais uma vez!


2º) THE RIGHT LIFE - SEAL: Engraçado que eu já ouvi essa música várias vezes. Inclusive, tinha certa ogeriza da introdução dela. Hoje foi um dia montanha-russa. Tenho passado por mudanças drásticas e críticas que estão me deixando um tanto quanto insegura e, para fugir da realidade, fico fazendo castelos nas nuvens. Claro que o ideal em qualquer situação é a gente poder ser otimista. Mas como é difícil encontrar a dosagem correta! Então, eu oscilo entre o niilismo absoluto e um otimismo exacerbado. Foi um dia difícil hoje. Pensei em "Alice no País das Maravilhas" e disse a mim mesma: é hora de acordar! Sem preparo adequado, pois não estava em boa condição psicológica, fui fazer uma prova escrita. Me dei mal. Acham que lamentei? Nada! Bola pra frente, que venha a próxima! Estava ouvindo música no retorno pra casa, coisa que sempre faço invariavelmente quando saio de casa e eis que dessa vez eu não pulei a faixa "The right life" do Seal. Era tudo que eu precisava! Senti que podia sair dançando no meio da rua pra viver a vida certa! Uma alegria eufórica me contagiou! Naquele momento senti que podia ser capaz de dar a volta por cima de qualquer adversidade! E é por isso que eu recomendo essa música pra quem quer que esteja se sentindo desanimado!

Uma ótima terça pra vocês! V^__^V

segunda-feira, 29 de setembro de 2008

Minha amiga incondicional é uma Zwergschnauzer



Um dos grandes desafios da vida: saber que somos todos integrados. Não existe nada no mundo que não nos perpasse: uma pedra, uma fragrância, uma imagem, um sorriso, um evento... E minha memória hoje me leva às lembranças de minha relação com os animais. Poderia ser prolixa e contar sobre como tudo começou: com a vira-lata chamada Musa, passando pelo basset chamado Cazuza e uma mestiça de maltês chamada Aiko até chegar em como foi que uma mini schnauzer veio parar na minha vida. Detalhes sem a menor importância diante de tudo que ela significa para mim e do bem que ela me faz...


Ela me veio num momento de perdas. Ela parece também ter vindo de uma situação de sofrimento - não sei nada sobre sua vida antes de mim... Mas nos amamos uma a outra instantaneamente, tão logo nos conhecemos. No começo, ela ainda era um pouco arredia. Mas identificou-se comigo entre os membros da casa e logo tornou-se "minha dona". Dei a ela o nome da mestiça que se foi - como sofri sua perda! - e hoje somos as melhores amigas! Aiko tem um temperamento totalmente diferente de qualquer outro cão com quem eu tenha convivido. Ela só gosta de mim, mais ninguém. É arredia com quem quer que seja. Não abana o rabo e late hostil - mas sem agressividade - para quem quer que tente se aproximar, apesar de não morder. Não é carinhosa e brincalhona com ninguém além de mim. Esse "apego" me entristece um pouco. Nunca vi um bicho que não fosse naturalmente amável com as pessoas. Sei que ela ama como poucos cães podem amar um dono. Mas como ela, eu nunca vi. E digo que se não fosse por ela, eu estaria na mais profunda depressão. Certa vez, fiz uma viagem de 15 dias e ela quase morreu de tristeza. Quando eu voltei, ela pareceu mal me reconhecer. Foi como se ela pensasse que a abandonei e que o que fiz com ela foi cruel. Nunca esqueci do olhar triste que encontrei naquele meu retorno. Recentemente, um amigo veterinário ministrou um medicamento homeopático justamente porque ela teria que passar mais um período sem mim e funcionou bem.

O amor entre o cão e seu dono pode ser descrito das formas poéticas mais belas possíveis. Entretanto, nenhum registro escrito - em verso ou prosa - pode fazer com que se tenha a real dimensão do que essa relação representa. Meu tributo a ela, registro aqui: sou mais feliz porque a tenho do meu lado!


Quem é o Zwergschnauzer?

Em alemão, Schnauzer quer dizer "focinho". Zwergschnauzer ou Mini Schnauzer é uma raça originária da Alemanha que descendente de antigos cães do tipo Terrier (embora também tenha sangue de Affenpinscher nas veias). A raça foi desenvolvida a partir da seleção genética de exemplares do Schnauzer Standard, cruzada com terriers pequenos, resultando num cão menor, idêntico ao 'original', sem os defeitos do nanismo. Muito ativo e excelente caçador de roedores, essas características fizeram o Schnauzer ser popular entre os antigos fazendeiros alemães.


O temperamento

Muito obediente, afetuoso, adestrável e simpático, é de uma fidelidade inquestionável em relação ao seu dono. Sente-se quase um humano, detesta ser ignorado. Late para chamar a atenção quando se sente desprezado e para dar alarme quando ouve sons estranhos. Adora companhia, detesta ficar só e, por isso, está sempre no mesmo ambiente da casa em que está seu dono.

É uma das melhores raças para viver em apartamento, pois é um cão que não se importa com o tamanho da casa, desde que esteja sempre ao lado de seu dono. Além disso, é muito higiênico e aprende rápido a fazer suas necessidades nos lugares determinados (jornais ou tapetinhos higiênicos), ou apenas durante os passeios (sendo necessário um passeio por dia, no mínimo).

A inteligência e a incrível coragem do Schnauzer são duas fortes características desta raça. Na Alemanha, seu país de origem, alguns criadores o descrevem como o "Cão de Cérebro Humano".


Fonte: Wikipedia

segunda-feira, 22 de setembro de 2008

As Quatro Estações


Em homenagem à chegada da Primavera!


Aprendi com os tropeços da Primavera e do Verão que passar pelo Outono e suportar o Inverno é uma questão de jamais esquecer

sábado, 20 de setembro de 2008

The Road Home

Há anos meu namorado e eu queríamos ver esse filme... Infelizmente não pudemos assisti-lo juntos, como gostaríamos. Alguma coisa que não tem nome me fez acordar de madrugada e ligar a tv... Já estava passando. Parecia que eu tinha que ver, que esse filme tinha algo a me dizer... Como todas as circunstâncias, ocorrências, por menores que sejam, têm sempre um amplo e profundo significado na minha vida. Não ousarei deixar aqui uma sinopse ou fazer uma resenha. Se seu interesse for grande, procure no Google. Mas as impressões que ele me deixou não posso deixar de registrar. Deixo essa marca de maneira cifrada, de modo que alguém que me leia entenda:
Há só um caminho para casa. Caminhos, há muitos... Mas somente um conduz ao Lar. E esse caminho só trilha quem escolhe, quem nunca desiste, quem verdadeiramente AMA!

domingo, 14 de setembro de 2008

Meme

Já faz um tempão que a Dafne me passou esse meme - nem sabia o que era - Missão das 4 coisas e me indicou pra esse Prêmio Dardos. Finalmente tive ânimo pra fazer isso...


1. Quatro empregos que já tive


1.1- Atendente na LASA (Lojas Americanas, pra quem não sabe)
1.2- Livreira
1.3- Professora de Português e Espanhol na Rede Estadual de Ensino de MG
1.4- Secretária de Pós-Graduação na Faculdade de Medicina/UFMG


2. Quatro filmes que eu assisto sempre que passam


2.1- O Diário de Bridget Jones
2.2- Todos do Jerry Lewis e do Elvis (pena que não passam mais...)
2.3- Ace Ventura (só o primeiro)
2.4- Desenhos da Disney

3. Quatro lugares que eu já morei


3.1- Em Contagem, logo que nasci
3.2- Em Coronel Fabriciano, uma boa parte da infância
3.3- Em Contagem, voltando do interior
3.4- Em Belo Horizonte, atualmente

4. Quatro programas de TV que eu gosto

4.1- Pantanal
4.2- não tem mais nada que eu vejo
4.3-
4.4-


5. Quatro pessoas que me mandam e-mail regularmente


5.1- Gabriela
5.2- Manoel Otávio
5.3- Dafne
5.4- Minhas colegas do trabalho


6. Quatro coisas que eu faço todo dia sem falta

6.1- Falar com o cláudio
6.2- Navegar na internet
6.3- Conversar no MSN
6.4- Ver tv


7. Quatro comidas favoritas

7.1- Comida japonesa
7.2- Massa
7.3- Trivial (arroz, feijão, bife, batata frita)
7.4- Strogonoff


8. Quatro Lugares que eu gostaria de estar

8.1- com meu namorado, em qualquer lugar
8.2- Japão
8.3- França
8.4- no Sul do Brasil


9. Passar a missão para 4 pessoas

9.1- Adrika (Quem sabe assim ela atualiza o Blog?)
9.2- Lis
9.3- Deilse
9.4- Cláudio



O Prêmio Dardos:


Com o Prêmio Dardos, se reconhecem os valores que cada blogueiro mostra cada dia em seu empenho por transmitir valores culturais, éticos, literários, pessoais, etc , que em suma, demonstram sua criatividade através do pensamento vivo que está e permanece intacto entre suas letras e palavras.”


1- Aceitar e exibir a imagem:




2- Linkar o blog do qual recebeu o prêmio: Dafne;
3- Escolher blogs para entregar o Prêmio Dardos: Meus indicados são: http://jiniaflordapele.blogspot.com/; http://lisarbinha.blogspot.com/; http://mundocontroverso.blogspot.com/; http://sweetthoughts.hostdegraca.com/; http://www.adrika.com.br/blog - só!

À Cidade Maravilhosa

Estou aqui desde o dia 02 e parto dia 16. Essa cidade tão maravilhosa tem sempre me recebido bem e ao mesmo tempo mal. Sempre que venho, o tempo nunca fica suficientemente bom pra ir à praia, por exemplo. Sempre fica nublado... Parece que a cidade se entristece por que sabe que eu não sou daqui e estou só de passagem! hehehe...

Foi o maior período que já passei por aqui e não fiz nem a metade dos passeios que planejei. E ninguém vai acreditar que fiquei por aqui tanto tempo e estou branquinha como nasci! Não é minha culpa - que reclamem com São Pedro!

Dessa vez, consegui ir ao Pão de Açucar. A vista é MAGNÍFICA. É muito lindo... Não tem como descrever. As imagens não fazem juz à beleza criada por Deus.






Eu poderia falar do Largo do Machado, do Aterro do Flamengo, da Rua das Laranjeiras, da Tijuca, da Urca, da Praia Vermelha, da Gávea, do Leblon ao Arpoador. Mas o Rio fala por si mesmo. Venha e você vai entender o que eu estou dizendo.

sexta-feira, 5 de setembro de 2008

Outra Vez Isolda

Não venho falar da protagonista da lenda celta. Venho contar de uma pessoa muito deconhecida que compôs uma das mais belas canções na voz do Rei Roberto Carlos. Desde criança, ela gostava de escrever. Estimulada pelo irmão mais velho, compunha sempre que surgia oportunidade, em sua parceria. Seu amor pela língua escrita talvez seja o argumento que a tenha levado ao Curso de Comunicação Social (Jornalismo). Em parceria com o irmão, conseguiu a proeza de ter uma de suas músicas gravadas pelo Rei (Amigos Amigos). Após o trágico falecimento do irmão (que sofreu um acidente de carro), Isolda compôs sua canção mais famosa e regravada até hoje (contabiliza cerca de 150 regravações): OUTRA VEZ.

A compositora afirma escrever o que vive. E reza a lenda de que Outra Vez foi um desabafo às lembranças do maior amor de sua vida. Conta-se que ela, em uma conversa com uma amiga que interpelou sobre o grande amor da vida de Isolda, relembrou o efusivo romance que a levou a compor a canção. A letrista teria chegado a procurar esse grande amor perdido para expressar seus sentimentos...

Essas canções de Roberto que falam de lembranças e de grandes amores, marcaram muito para mim. A maior parte delas fez sucesso na década de 70 e ínicio dos anos 80, quando eu era bem menininha... Minha mãe, a exemplo de uma de suas muitas irmãs (a favorita, digamos assim), curtia muito essas canções e também o meu pai. Meu pai curtia o Roberto da Jovem Guarda e, amadurecendo, foi curtindo também essa fase romântica - a que eu considero magnífica e não-brega, ainda que muitos rechacem essa minha teoria. Entre as mais marcantes para mim estão: DESABAFO (eu me lembro do Didi imitando o Roberto no Programa dos Trapalhões, o qual eu nunca perdia!), NÃO SE ESQUEÇA DE MIM, CAVALGADA, AMADA AMANTE, DETALHES E OUTRA VEZ. Digamos que esse é o meu Top 6 Roberto Carlos - não necessariamente nessa ordem. Até bem pouco tempo a top top para mim era Detalhes. Mas com as súbitas lembranças da infância e memórias perdidas (ou surgidas, melhor dizendo) essa classificação se alterou um pouco... Vamos ver quem adivinha qual é a minha #1!


sexta-feira, 29 de agosto de 2008

A música mais linda do mundo

Ainda estou atordoada com os últimos acontecimentos. Especialmente um que eu não mencionei aqui porque me abalou demais: o caso do rapaz que se suicidou na frente de uma moça na Faculdade de Letras/UFMG - onde eu me graduei e onde ainda tenho aulas. Pretendo falar sobre isso aqui porque está entalado na minha garganta como espinha de peixe. Mas hoje, deixo a espinha ainda incomodando para falar de um outro assunto, bem mais animador!
Já pararam pra pensar qual é a música mais bonita do mundo? A mim, que gosto de tantas, se me fizessem essa pergunta de sopetão, talvez eu não tivesse tão clara a resposta quanto tenho agora. Eu tive essa "revelação" ontem à noite, indo para o campus. Eu tenho costume de ir baixando músicas por intuição: me vem uma canção que quero ouvir naquele momento e procuro. Na busca, encontro outras e assim vou inflando meu 'acervo'. Um dia, procurando músicas famosas - acho que foi no dia que estava procurando a música do filme "Bonequinha de Luxo", Moon River - encontrei uma das mais lindas interpretações da música que eu considero a mais bonita do mundo. Trata-se de um duo da cantora canadense (pretendo um dia falar das cantoras canadenses aqui!) K. D. Lang (ótima intérprete de bossa nova, diga-se de passagem) e Tony Bennett, que gravaram um disco que leva o nome dessa música. O primeiro e, digamos, o mais importante intérprete da canção composta por Bob Thiele (que tinha o pseudônimo de George Douglas e George David Weiss) é Louis Armstrong, que lançou o single da música no outono de 1968. Desde '65, os Estados Unidos estavam metidos na Guerra do Vietnã (conseqüencia da chamada "Guerra Fria"), mandando seus jovens para a morte. A canção parece querer trazer ao mundo em conflito um pouco de otimismo e esperança em face de uma perspectiva de tragédia e terror. Não foi por acaso que a música está na trilha sonora do filme "Bom dia, Vietnã", de 1987 - quando ficou bastante conhecida mesmo. Traduzo a letra (livremente):
"Vejo o verde das árvores...
O vermelho das rosas também...
Assisto-as desabrochando, para mim e para você
E fico pensando, comigo mesmo, que mundo maravilhoso!
Vejo um céu de azul! E nuvens de brancura!
O abençoado brilho do dia, o sagrado escuro da noite...
E fico pensando, comigo mesmo, que mundo maravilhoso!
As cores do arco-íris, tão lindas no céu...
Também as dos rostos das pessoas que passam
Vejo amigos apertando as mãos, dizendo "como vai?"
Na realidade dizendo [com esse gesto] "eu amo você"
Ouço o choro dos bebês... Assisto-os crescer!
Sabia que eles vão aprender muito mais do que eu jamais tenha aprendido?
E eu penso, comigo mesmo... Que mundo maravilhoso!
Sim... Eu penso comigo mesmo: QUE MUNDO MARAVILHOSO!"
Existem centenas de regravações da música que é a #1 pra mim... Dezenas de artistas já gravaram essa ingênua e singela canção. A mais inusitada, para mim, é a versão do Joe Ramone - ficou muito boa. Porém, a que considero mais perfeita - a que mais me emociona, sem contar a gravação original - é a gravada pelo duo que eu havia dito - 10 anos depois da versão que deixo pra vocês curtirem, que fora gravada em 1992. Com vocês, Mr. Nick Cave (do Nick Cave and The Bad Seeds) e Shane MacGowan (Pogues), cantando "What a wonderful world".

terça-feira, 19 de agosto de 2008

Antologia Delicatta III


Não é nenhum segredo que eu gosto de escrever. Acho mesmo que me expresso muito melhor por escrito. Está fazendo um ano que escrevi um conto baseado em fatos reais intitulado "A Sorte é um Banco 24 Horas" em homenagem a um (muito querido) amigo - R. Schierz. Tudo começou com um sonho muito significativo - eu nunca me lembro dos meus sonhos, nunca! - em que os números 7 e 11 se fizeram presentes. Eu sabia que eles representavam algo importante que eu precisava entender. Meu namorado e eu somos muito junguianos e sempre estamos tentando entender o que um sonho quer nos dizer. Havia comentado com ele e depois com esse meu amigo, o Schierz. Perguntei se ele jogava no bicho, talvez fosse um bom palpite para jogar, ao que me disse que ia saber com um amigo dele. Tempos depois, já nem me lembrava do assunto quando me revelou não somente quais eram os bichos correspondentes aos números do sonho mas também que havia arriscado 50 centavos no meu palpite: ganhou 125 reais. Mas o amigo dele que teve mais fé no palpite e ganhou 10 vezes mais que ele!! 'Eu te falei pra jogar! Por que não apostou mais, seu bobo?' - disse, me acabando de tanto rir - 'Essa foi tão boa que daria um excelente conto!', ao que me respondeu: 'Escreva!'. Foi o que fiz. Em 20 minutos estava escrito. Esse texto ficou guardado até março desse ano quando recebi o convite para participar de um Concurso Literário chamado Projeto Delicatta. Idealizado por Luiza Moreira, o concurso, em sua 3ª edição, buscou novos talentos literários através da web - via Orkut. O principal objetivo do concurso é permitir que pessoas comuns tenham a oportunidade de divulgar seu trabalho em uma publicação - lançada na Bienal do Livro de SP - que reuniu nessa edição mais de 80 autores de todo Brasil - inclusive três participantes de Portugal.


No último sábado, o projeto reuniu os autores para premiação dos melhores em várias categorias. Tendo em vista a diversidade e a qualidade até ter o livro em mãos eu desconhecia, confesso com toda sinceridade que não esperava receber o prêmio de autor revelação pelo texto "A Sorte é um Banco 24 Horas". Na coletânea, estão também dois poemas: "Sonne & Meer" - dedicado a uma amiga chamada Alda Niemeyer - e "Relicário" - dedicado à minha querida professora de Francês Beatriz Vaz Leão.


Eu não quero parecer uma falsa humilde... Por isso, ainda que eu me sinta merecedora de reconhecimento por fazer bem aquilo que eu mais gosto na vida, eu sinto que esse prêmio pertence aos meus amigos que me inspiraram: R. Schierz, Alda Niemeyer e Beatriz Leão. Merecem igualmente essa homenagem todos aqueles que estiveram ao meu lado e não estão mais - voluntária ou involuntariamente -, aos que estão e aos que ainda vão estar... Porque são eles que me movem a estar aqui compartilhando meus pensamentos, sentimentos e vivências.

sexta-feira, 8 de agosto de 2008

Acústico MTV Julieta Venegas

Essa moreninha é linda! Não só canta: encanta. Mesmo tendo nascido na Califórnia, é uma representante da música mexicana. Sua carreira ganhou notoriedade internacional quando seu álbum "Limón y Sal" ganhou o Grammy na categoria Melhor Álbum de Música Alternativa em 2006. A música que dá título ao álbum foi exatamente a que me pôs jogada aos seus pés! Uma ternurinha... Ela transimite isso: delicadeza e doçura.

É patente que música latina não cola no Brasil. Brasileiro torce o nariz pra música cantada em espanhol. A febre latina aqui dá e passa bem rápido. Só para lembrar: Menudo (Rick Martin) e Shakira. Mas nossos bons músicos sempre dão um crédito para bons cantores latinos. Lembro a pareceria entre Fito Paes e os Titãs (o acústico foi um FENÔMENO!). Mano Chao também é bem querido dos artistas da mpb mais recente - Zeca Baleiro, Lenine... Esse último, convidou Julieta para cantar em seu acústico - que resultou na belíssima "Miedo".

Gravado em junho deste ano, o Acústico MTV Julieta Venegas nos brinda com suas melhores canções em arranjos primorosos. Ilusion conta com a participação da diva maior da MPB: Marisa Monte. Mas não é a melodia nem as vozes delicadas que me agradam que me fazem amar essa canção. Leia a letra, veja o vídeo. Depois, se descobrir, me conte o que é!





Ilusion - Julieta Venegas & Marisa Monte


Uma vez eu tive uma ilusão
E não soube o que fazer
Não soube o que fazer
Com ela
Não soube o que fazer
E ela se foi
Porque eu a deixei
Por que eu a deixei?
Não sei
Eu só sei que ela se foi

Mi corazón desde entonces
La llora diario
No portão
Por ella no supe que hacer
y se me fue
Porque la deje
¿Por que la deje?
No sé
Solo sé que se me fue

Sei que tudo o que eu queria
Deixei tudo o que eu queria
Porque não me deixei tentar
Vivê-la feliz

É a ilusão de que volte
O que me faça feliz
Faça viver

Por ella no supe que hacer
Y se me fue
Porque la deje
¿Por que la deje?
No sé
Solo sé que se me fue

Sei que tudo o que eu queria
Deixei tudo o que eu queria
Porque não me deixei tentar
Viver-la feliz

Sei que tudo o que eu queria
Deixei tudo o que eu queria
Porque no me dejo
Tratar de ser la feliz

Porque la deje
¿Por que la deje?
No sé
Solo sé que se me fue



Download

terça-feira, 5 de agosto de 2008

Volta às aulas

Hoje vi no Lab Clássicos MTV o clip de Hit me baby one more time. Considero um absurdo que esse clip passe por clássico, entendendo clássico do modo como eu entendo. Vamos aceitar que ele realmente foi um marco no pop. E os adolescentes que adoravam a Britney hoje já são graduados na faculdade e com certeza desprezam o passado. Assim como os meninos e meninas que hoje curtem High School Musical vão um dia deixar de gostar disso e perceber que tudo são fórmulas pré-fabricadas. Enfim, assistindo eu me dei conta de como ele me lembra que realmente as férias acabaram e que é tempo de começar tudo de novo. Eu passei um longo tempo afastada da faculdade depois que concluí meu curso. Eu senti por um tempo que ali não era meu lugar mais e isso me deixou triste. Esse semestre porém resolvi retomar aulas na FaLe. E descobri uma coisa que eu estou certa de que farei por toda minha vida, enquanto eu viver: estudar. Eu venho confessar que realizei neste semestre um sonho e superei uma resistência. O sonho: aprender LIBRAS. Finalmente a Faculdade de Letras da UFMG (FaLe) incluiu em sua grade curricular um curso de Língua Brasileira de Sinais. E qual não foi minha surpresa quando encontrei em minha professora uma amiga que fiz há um tempo atrás quando cursei uma disciplina como eletiva na pós-graduação. A superação: finalmente tive coragem de me matricular em Alemão. Eu sempre achei que era uma língua horrorosa. Entretanto, há mais ou menos um ano atrás eu venho descobrindo pouco a pouco que aprender essa língua faz parte de um processo muito importante de (auto)descoberta. Eu não tenho noção se vai ser fácil ou difícil esse aprendizado, mas sei que ele é fundamental neste momento que estou vivendo. Infelizmente a primeira aula que esperei com ansiedade não aconteceu. O professor simplesmente não veio e avisaram só na hora...

Assim, eu retomo o clip da Britney para dizer que não importa o grau em que estejamos: quando alunos, todos passamos por essa ansiedade de aprender novas coisas, rever os amigos, conhecer novos. AND I MUST CONFESS: até que eu gosto de umas musiquinhas da Britney - inclusive essa! Se o Travis pode, eu também posso!