quarta-feira, 8 de outubro de 2008

Nos braços da Mãe Durga


"Saudações a Divina Mãe Durga, que existe em todos os seres na forma de inteligência, misericórdia, beatitude, que é a consorte do Senhor Siva, quem cria, sustenta e destrói todo o universo".


É da natureza humana cultuar símbolos. Ou externar sentimentos e pensamentos pela linguagem simbólica. É uma grande falta de compreensão dizer que os hindus adoram vários Deuses. A cultura judaico-cristã é intolerante com o entendimento dessa linguagem simbólica. O que o cristão chama "Deus" é expresso pelos hindus em várias formas, com seus infinitos atributos. Para eles, Deus pode ser adorado de diversas formas. Recorrer à Deus numa determinada forma, numa que seja adequada à situação vivenciada, não é apenas natural como muito reconfortante. Deus numa forma feminina, poderosamente protetora é um bálsamo para um devoto cansado e entristecido pelas experiências mundanas. Assim, não poderia querer estar em melhor lugar que nos braços da Divina Mãe Durga.


Durga em sânscrito significa Força (A Invencível) ou Lugar protegido de todo mal (A Inacessível). Durga está sempre agindo a favor de seus devotos contra todo mal. O simbolismo de suas vestes, sua montaria (um tigre ou leão), seus inúmeros braços é bastante complexa. Mas explicações são irrelevantes se não existe entrega. Explicações satisfazem a mente e aquietam precariamente o coração, mas não o espírito. Em essência, sabemos que há algo além de qualquer explicação, algo que transcende a tudo e a todos... Dizem que no Durga Puja (setembro-outubro), o devoto que fizer com fervor e sinceridade um pedido à Divina Mãe Durga será abençoado por sua Doce Misericórdia, sob sua Amorosa Proteção. Ao que tudo indica, esse dia é HOJE. Façamos então um pedido sincero com o coração fervoroso e confiante na Mãe!

2 comentários:

Cláudio disse...

Hoje eu estava pensando no hinduísmo e de quanto tempo eu não leio nada. Gosto desta visão religiosa hindu - o Divino se adaptando ao entendimento e evolução de cada um. Não é aquela coisa chata de impor um Deus masculino e autoritário do nosso "Cristianismo". Minha divindade preferida no hinduísmo é Sarasvati, nem precisa dizer o porquê.

Dafne disse...

Comentário nada a ver com o post, mas que eu achei muito interessante!

Ontem eu estava assistindo Ana Maria Braga e ouvi um comentário de um japonês que achei muito verdadeiro:

"No japão as pessoas podem não saber conversar sobre um todo, mas sabem MUITO sobre o assunto das quais são responsáveis...
Enquanto no Brasil as pessoas sabem um pouco de política, economia, informática culinária, medicina etc e no fim das conta não é especialista em nada!"

Beijos