terça-feira, 30 de setembro de 2008

Canja de Galinha para Alma



Parece título de livro de auto-ajuda, né? (Na verdade, existe mesmo um livro com esse nome...) Mas é que às vezes isso é fato: precisamos de um carinho, um afago, algo que ajude a levantar o astral. Eu me sinto como se estivesse numa montanha russa enorme e louca. De um segundo para o outro, desço das nuvens ao abismo e vice-versa. Isso tem me deixado, além de exausta, um tanto quanto ansiosa para ter minha (pseudo)tranqüilidade de volta. Esses ups&downs têm também me causado aquela tristezazinha que beira à depressão. Aquela que vai fazendo com que a gente não tenha ânimo para fazer as coisas mais banais - pentear o cabelo, escovar os dentes e (no nível mais crítico) tomar banho... Graças a Deus, eu realmente não permito que esses níveis se elevem a tal ponto. O máximo que me acontece é uma dor de cabeça chata que preciso sempre medicar para não virar enxaqueca insuportável e uma falta de humor - que não é mal-humor; é bem diferente...

Entre outras coisas que faço para aliviar esse mal-estar, costumo sempre ouvir música - independentemente do meu estado de espírito. Convivo há anos com uma pessoa que não vive sem música. E assim eu passei também a ser uma addicted, digamos assim. Raramente faço alguma coisa sem estar ouvindo uma música. E é ela que tem sido minha Canja de Galinha da Alma! Tenho um gosto bem eclético, mas bastante singular, como podem notar pelos realeases que costumo escrever. E hoje eu vim receitar duas canções que seguramente tiram qualquer um da depressão:

1º) FRIDAY I'M IN LOVE - THE CURE: Eu ouvi de verdade essa canção numa manhã depois de ter vivido um dos meus piores pesadelos - e, acreditem-me, já vivi VÁRIOS DELES na real! Simplesmente acordei ao som dessa canção cujo vídeo estava passando na MTV, de manhã bem cedo, antes de todos acordarem. Eu senti como se tivesse acabado de tomar uma injeção de ânimo, um alento, uma disposição para começar do zero, mais uma vez!


2º) THE RIGHT LIFE - SEAL: Engraçado que eu já ouvi essa música várias vezes. Inclusive, tinha certa ogeriza da introdução dela. Hoje foi um dia montanha-russa. Tenho passado por mudanças drásticas e críticas que estão me deixando um tanto quanto insegura e, para fugir da realidade, fico fazendo castelos nas nuvens. Claro que o ideal em qualquer situação é a gente poder ser otimista. Mas como é difícil encontrar a dosagem correta! Então, eu oscilo entre o niilismo absoluto e um otimismo exacerbado. Foi um dia difícil hoje. Pensei em "Alice no País das Maravilhas" e disse a mim mesma: é hora de acordar! Sem preparo adequado, pois não estava em boa condição psicológica, fui fazer uma prova escrita. Me dei mal. Acham que lamentei? Nada! Bola pra frente, que venha a próxima! Estava ouvindo música no retorno pra casa, coisa que sempre faço invariavelmente quando saio de casa e eis que dessa vez eu não pulei a faixa "The right life" do Seal. Era tudo que eu precisava! Senti que podia sair dançando no meio da rua pra viver a vida certa! Uma alegria eufórica me contagiou! Naquele momento senti que podia ser capaz de dar a volta por cima de qualquer adversidade! E é por isso que eu recomendo essa música pra quem quer que esteja se sentindo desanimado!

Uma ótima terça pra vocês! V^__^V

5 comentários:

Cláudio disse...

Quando estou triste (é meu estado natural) ou melhor, mais triste ainda a última coisa que faço é ouvir música alegre. Nisto somos bem diferentes. Nunca entendi isto de depressão, talvez por ter nascido triste e sei que vou morrer de tristeza é natural pra mim. Acho que depressão pega mais pessoas muito alegres e derepente a vida dá uma virada. Aí caem na depressão.

Dafne disse...

Ai amiga... o que te passa para se sentir assim em uma montanha russa?
A vida é cheia de altos e baixos, mesmo e temos que ir enfrentando todos eles! Já estamos acostumados a viver assim, sofremosmas com rapidez nos recuperamos... e realmente existem as coisas que nos fazem mais alegres, nos faze abrir os olhos, e as músicas são uma dessas coisas!!!

Tb AMO!!!
Alias estou escrevendo aqui e escutando Ben Harper.... =)
Beijos e Melhoras!

Menina disse...

O Dri! Acabei de passar pelo da Daf e vim aqui... Lí seu comentário e passou um filme na minha cabeça... Qto tempo... Quantas coisas passamos, vc sempre me dando a maior força (mesmo longe). E hoje estamos todas na net, como nos velhos tempos!!!

Sobre a vida, não é só vc que se sente assim, amiga... O mundo está virado, o estresse do dia-a-dia, problemas, tudo mexe muito com o nosso emocional. Mas lembre-se, vc tem amigas que te querem muito bem! Eu sou uma delas e pode contar comigo 4ever!

Bjos!

Ahhh, e quando quiser aprender um pouco de wordpress te dou um lay de presente! ;)

Menina disse...

Hahahaha!
Aih amiga, não tenho culpa que gosto de sucrilhos! :P

Bjos!

Cláudia Mello disse...

Oi, queridona! :-)

Olha só: temos mais uma coisa em comum! rs Uma das terapias mais eficazes quando estou deprê é ouvir música. Pode ser um pop rock anos 80, fica de bom tamanho. Mas às vezes eu dou uma variada.

Outra coisa... filmes! Tenho meus filmes terapêuticos de estimação e que recomendo pra quem é mulherzinha ou para quem, como eu, está aprendendo a ser :-)

"Chocolate"
"Sob o Sol de Toscana"
"Da Magia à Sedução"
"A Senhora das Especiarias"
"Ratattouille" (se vc adora pilotar um fogão tb...rs)

Tem tb umas velharias legais, tipo aqueles musicais bem coloridos, com roupas lindas, lugares maravilhosos e gente perfeita e inexistente! hahahaha!

Tb li certa vez algo bem interessante sobre canja de galinha, que talvez não seja o ingrediente, mas as lembranças acolhedoras da infância que nos tragam tanto conforto ao comer uma canjinha quente. Bem, então eu incluo aí tb um mingauzinho de aveia com um fio de mel, que minha avó fazia pra mim. Lembrança boa...

É isso, Adri! Vai passar! Vai passar!

beijão

Cláudia