domingo, 13 de junho de 2010

A primeira vez a gente não esquece - 13 de junho, nosso dia especial

Se lembra do seu primeiro choro, do seu primeiro balbucio, do seu primeiro passo? Normalmente, ninguém se lembra de algo tão anterior ao nosso reconhecimento de nós mesmos como indivíduos. Para tudo existe uma primeira vez. Se é um processo natural  e franqueado a todos, o que tem de tão especial nas primeiras vezes? Não tenho uma resposta pronta para essa pergunta, mas sei que o início de todas as coisas sempre tem sido celebrado...

Hoje é um dia especial para mim porque foi o dia em que eu e meu namorado nos beijamos pela primeira vez (contei essa história aqui o ano passado. quem se lembra?). Não foi a data (afinal, foi no dia do santo casamenteiro, bem depois do dia dos namorados), não foi o lugar, tampouco a ocasião. Sinceramente, se eu soubesse explicar porque ele foi tão especial, não conseguiria pôr em palavras. Poderia dizer que foi o simples fato de estar completamente apaixonada e estar sendo correspondida. No entanto, depois de todos esses anos, diria que foi especial porque estamos juntos até hoje por esse motivo. Ele não gosta de marcar datas e celebrá-las. Custei a entender que para ele - e agora para mim também - alguns momentos são pura eternidade...

Assim, deixei para celebrar - sem celebrar - o nosso "dia especial" (entre aspas porque para nós, todos os dias em que pudemos e estamos juntos é especial), as nossas respostas às perguntas para o especial do Dia dos Namorados.

Com tantas datas comemorativas no calendário, você acha que o Dia dos Namorados é apenas mais uma ou seria esse um dia realmente especial?
Ele: Todos dias são especiais, porque são momentos únicos; além de serem sempre uma oportunidade para conhecer-nos, aprender e viver. A publicidade deveria rever essas criações, porque tem muitas pessoas que sofrem com datas "especiais". / Eu: Sempre curti o dia dos namorados, com ou sem namorado. É comercial sim, mas acho legal que existam esses dias "especiais" como motivação para nos lembrar de expressar o que devemos (ou ao menos deveríamos) fazer todos os dias.

Qual foi seu melhor Dia dos Namorados EVER?
Acho que é sempre o primeiro, mas infelizmente eu não me lembro como foi. / Eu: O melhor foi aquele em que nós não estávamos juntos. Teoricamente, deveríamos... Eu esperei por ele num lugar bem romântico aqui em BH. Ele não foi, mas eu não me aborreci. Ao contrário: a felicidade de me descobrir amando assim tão ternamente me completou. O dia seguinte foi MÁGICO...

Se você pudesse escolher um presente no Dia dos Namorados, o que você escolheria?
Ele: Tem uma lista grande. Mas não posso exigir né. /  Eu: Escolheria poder voltar no tempo e ter curtido juntos algum momento histórico, tipo... estar em Woodstock, por exemplo.

Qual presente você daria para quem você ama nesse dia?
Tenho dificuldade em dar presentes, fico observando-a até que consigo achar um presente bom. / Gosto muito mais de dar que receber presentes. Sou observadora com essas coisas e normalmente consigo agradar bastante. É fácil presenteá-lo porque ele gosta de coisas simples como música e livros. Livros sempre são minha primeira opção. Esse ano dei o livro dos Beatles e um do Goethe, que no fundo é um presente nosso. Compartilhamos essas coisas - o que é meu é dele e vice-versa. 

Onde você gostaria de passar esse dia com a sua pessoa e o que vocês fariam?
Ele: Na verdade em um lugar bem alto olhando as estrelas. Mas acho que ela preferia um lugar mais romântico rs. / Eu: não tenho nada em mente que seja diferente do que gostamos de fazer sempre - estarmos juntos, não importa muito o lugar.

Dedique ao seu amor...

Uma música: Ele: As vezes penso nessa do George Harrison, "Your Love is Forever". Onde eu a ouvir vou lembrar dela. / Eu: Entre milhares de possibilidades, só me vem à mente "Without your love" do Roger Daltrey...















Um filme: vou citar dois que vimos juntos. Ambos gostamos muito, são românticos e melancólicos, um é "No Amor e a Guerra" e o outro é "As Pontes de Madison". Fico feliz por tê-los visto com ela. / Eu: Há vários que são especiais para nós dois que eu poderia citar. Entretanto, vou ficar com o que veremos no dia 12: A Casa do Lago.
(obs: No Amor e na guerra foi o primeiro filme romântico que vimos em casa juntinhos, como gostamos de fazer até hoje. Também com Sandra Bullock, que fez A Casa do Lago que vimos no dia 12)













Uma comida: Eu e Ele: comida japonesa

Qual é a melhor forma de dizer "eu te amo"?
Não dizendo. No fundo eu acho que não amo ninguém. Não sei o que é o amor. Infelizmente.... Quando as pessoas falam em amor, vejo logo que é egoísmo, sentimentos, desejo, posse etc. / Eu: Dizer qualquer um pode dizer. Costumamos rir dos americanos que dizem "eu te amo" levianamente, para tudo... Dizer é bom quando vem do coração. Eu digo sempre que eu sinto que devo dizer. Só existe essa forma para mim.

Qual é o jeito que ele/ela te diz "eu te amo"?
Ela sempre fala isso. É coisa de mulher mesmo.  / Quando ele diz que eu pareço com a Clarice Lispector, mas entre ela e eu, ele prefere a mim.

5 comentários:

Cláudio disse...

Morro de vergonha em me expor assim. Quero passar desapercebido nessa vida

Thais disse...

que graça, é muito amor! espero que vcs sejam muito felizes!
beijos!

Dafne disse...

Eu serei madrinha desse casamento, mesmo não tendo conhecido o noivo, ainda!!!

Beijos

Adri disse...

só depois q eu batizar seus netos, né dafne?

Cíntia Maciel disse...

Bom dia querida amiga blogueira !

Resolvi passar para dar uma espiadinha no seu blog ... que é uma fofura e também para te desejar uma semana iluminada, repleta de alegrias !

Beijos no ♥

Visite meus blogs e seja um(a) seguidor(a) !

* Artesanato da Cíntia - http://cintiamacielartes.blogspot.com/
* Meu blog de mimos - http://cintiamacielmimos.blogspot.com/