sexta-feira, 26 de novembro de 2010

This One - Paul McCartney


A passagem do Beatle mais tietado de todos pelo Brasil parece nem ter acontecido. Mal se encerraram a série de shows - restritos a São Paulo e Porto Alegre - ninguém mais fala do cara. Antes, surgiram fãs do nada, gente tatuando o autógrafo do cantor, muito frenesi e histeria quase beatlemaníaca. Bateu, segundo fontes seguras, os maiores recordes de público até hoje. Da imensa multidão que marcou presença, gostaria muito de saber qual a porcentagem dos que realmente conhecem a carreira do ex-membro da banda mais famosa de todos os tempos e curtiram de verdade. Garanto que muitos sacudiram os celulares ligados para a música Yesterday como se ele não tivesse feito nada melhor... Até John, que apesar de ter jogado na imprensa que tudo que Paul fez (de bom) foi Yesterday, sabia que Paul era um Midas da música pop. Nenhum beatle foi mais pop que ele...

Apesar dos altos e baixos da carreira "solo" de Paul, quase tudo que ele fez foi um tremendo sucesso. Enumerar todos seus hits é tão desnecessário quanto redundante. O que posso dizer dele que não tenha sido dito nem pareça uma tietagem boba? Acho que ninguém nunca reparou que Paul também era bem ligado às coisas espirituais. Não é só a questão do vegetarianismo não! Os valores espirituais, principalmente os pregados pelo Hinduísmo, deixaram uma marca indelével na obra de George, mas tanto John quanto Paul fizeram trabalhos que remetem à espiritualidade. Isso fica bastante explícito num sucesso de 89, do álbum "Flowers in the dirt" e que depois foi o hit do 42º single do artista, intitulado This one

A canção é uma metáfora para o relacionamento do devoto com o Deus (ou Eu Interior): um relacionamento íntimo e aberto. Na filosofia hindu, o homem deve estabelecer um contato com seu Ser - alma - e não permitir que o Ego (consciência de uma existência escrava da matéria e dos desejos) o subjulgue. A única forma possível é abrir o coração (open up your heart) e saber que a alma é seu verdadeiro ser (you were mine - ou seja, o hong só: "Eu sou Ele"). A letra é um alerta ao devoto para não perder a oportunidade de cultivar essa Amizade Divina com seu próprio interior deixando escapar momentos preciosos. Só há um tempo ideal para tal: o agora (there never could be a better moment than this one). A imagem de Deus  (Brahma) montado em um cisne (hans vahana) representa o conhecimento. 

This one parece ter sido feita em parceria com beatle mais espiritualizado. A melodia, inclusive, tem muita semelhança com trabalhos do projeto Traveling Wilburys - um "super" grupo com ninguém menos que George Harrison, Bob Dylan, Roy Orbison e Tom Petty. Foram feitas duas versões videoclípticas para o single. Essa é 2ª versão e mais condizente com a letra e o espírito de sua mensagem. É uma das minhas favoritas do Paul e muito pouco reconhecida pelos fãs... 



4 comentários:

Cláudio disse...

Como não gostar de uma música dessa, minha cara. Mas que texto maravilhoso!Um dos melhores que já li sobre um artista. Você escreve com alma e ao mesmo tempo consegue fazer um texto jornalista.
Eu lembrei qdo, lá pra 1990, eu tinha saído a caça dos vinis do paul. Cheguei a comparar uns 6. tenho até hoje

Thais disse...

Aiai, nem me fale desse show do paul! Como beetlemaniaca desde criancinha, eu realmente chorei com esse show, mas de pesar por não poder ter assistido ao vivo :(
Beijos!!

aideti disse...

não gosto muito da carreira solo do paul mas essa música é até interessante.

Roberto Carlos Rangel disse...

Inegavelmente um grande intérprete, carismático e ainda atualíssimo. Penso que é assim que se constroi o conceito de clássico. Rock, pop, romântico - tudo parece estar ali, porém com uma qualidade marcante. Esse tipo de música não envelhece, só muda de roupa...
Belo artigo, amiga.