terça-feira, 15 de setembro de 2009

Há 10 anos

Faz 10 anos que eu amo a mesma pessoa. Consigo lembrar como foi que tudo começou... Lembro de vários detalhes, de várias sensações impossíveis de se reviver.

Há 10 anos eu amo a mesma pessoa. Não é verdade. Ela não é a mesma pessoa, tampouco eu. Em 10 anos, somos outros - mais maduros, talvez. Mais conscientes, quem sabe. Mais semelhantes que a 10 anos atrás, com certeza.

Há 10 anos uma pessoa faz parte da minha vida tão profundamente que é impossível pensar a vida sem ela. Por que? Nem se eu soubesse diria - só sentido eu sei, sem saber.

Dizer para ela eu te amo é difícil. Não porque ela nunca me disse de volta - e talvez nunca diga. Mas porque me ensinou que dizer sempre é mais fácil que sentir e demonstrar.

Há 10 anos convivo com a pessoa mais extraordinária que eu já conheci: um poço de sinceridade, lealdade e fidelidade. Jamais conheci quem fosse mais sincero nessa vida.

Para uns, conviver com ela é um martírio - não perdoa facilmente um deslize, uma falta - por menos grave que seja. Não hesita em ser "duro" com quem é "mole". Mas no fundo tem um coração que é feito de açucar - sempre se derrete diante do sofrimento alheio (é o coração mais compassivo que eu já conheci).

Se houvesse um sobrenome para essa pessoa, o melhor seria justiça. Jamais seria capaz de agir injustamente com quem quer que fosse. É honesta até nas mínimas coisas. Por isso, não usa palavras em vão - compreendo isso muito melhor hoje que há 10 anos atrás.

Há 10 anos confiei meu coração a essa pessoa. Depositei nela tantos sonhos, esperanças e expectativas... Hoje eu posso dizer que não me sinto no direito de pesar seus ombros com tanta responsabilidade.

Um cantor que a gente gosta muito - aliás, se não fosse "a minha pessoa", jamais o teria conhecido - Rufus Wainwright canta um verso maravilhoso que diz assim: "Life is a game and true love is a trophy". De fato, se o amor é um jogo e o amor verdadeiro é um troféu, hoje, depois desses 10 anos, que mais eu poderia fazer senão reconhecer como eu sou feliz por ter a chance de sentir por ela aquilo que a gente conhece sob o nome de amor?


3 comentários:

Cláudio disse...

Queria conhecer essa pessoa que vc fala. Elogios me constrange muito. Não sou de contar o tempo, engraçado que esses dias tenho lembrado dos primeiros tempos. A gente era mais ingênuo, em relação a tudo.Acho que tb perdemos um pouco da simplicidade, que é uma pena. Que esses 10 anos se multiplique né

Dafne disse...

10 anos...
Passam tão rápido, nem dá para acreditar.
Que vcs sejam muitos felizes, durante 10, 20, 30 anos e que eu esteja presente no casório! ♥

Mary Joe disse...

Lindo texto, lindo relacionamento, e se me permite, é linda mesmo, essa sua pessoa.
Como vc, inclusive.