terça-feira, 18 de maio de 2010

A morte não existe para alguém como ele - R.I.P Dio (1942-2010)

Poderia falar mil coisas sobre a morte. Uma delas seria dizer sobre o quanto ela paradoxalmente nos choca mesmo quando eminentemente evidente e inevitável. Parece que foi mesmo ontem que eu li a notícia de que o Dio foi diagnosticado com câncer no estômago. Com 60 e poucos anos, achei que fosse possível uma cura. Recebi a notícia no último domingo via Twitter da maneira mais chocante e triste... Várias pessoas dizendo que não sabiam quem era Dio. Não digo deprimente e vergonhoso porque o gênero não é dos mais populares. O Metal ficou muito datado e restrito aos anos 80 como coisa trash - culpa de idiotas como o Marcos Mion. Gostando ou não de rock pesado, como amante de música em geral não posso evitar me deprimir ao saber que uma voz tão formidável se foi para sempre...

Eu poderia detalhar sobre sua vida e sua carreira, mas isso não me faria sentir melhor. Entretanto, lembrar com nostalgia do "horror" que me causou a capa de Holy Diver é reconfortante. Lembro com muita saudade um colega de trabalho, no tempo em que eu fui livreira, que adorava o Dio... O Marquinhos o amava! Penso se hoje ele se lembra do adolescente que ele foi na época e se ainda hoje ouvia com o mesmo entusiasmo seu som...

As aparências enganam, ninguém questiona. Todavia, considero um grave erro dizer que quem vê cara, não vê coração. A despeito de seus trajes, seu cabelo comprido e o "sinal satânico" que costumava fazer sempre, sei ao olhar para aqueles olhos em vídeos e fotografias a pessoa amável, educada, sincera, gentil e adorável que ele foi. No ano passado, contei aqui saga do show do Heaven and Hell do qual não pude participar. Eu lamento muito por isso hoje sabendo que nunca mais terei a mesma oportunidade... Ele não fez parte tanto assim da minha história, contudo eu soube e tive a certeza da sua importância não somente para o gênero, mas para a história da música. Dio sempre será querido e sua música realmente não morrerá, como bem disse a sua amada esposa Wendy.


3 comentários:

Cláudio disse...

Dio faz parte da minha história. Eu lembro eu com 12 anos tentando imitar a voz dele, das fitinhas cassete q eu grava do programa do Mister Tim.
Todos o amavam. Li um relato ontem, de King Diamond, dizendo como era fã dele. Lembro de um amigo de infância, o César, que odiava o Ozzy e adorava o Dio.
O que me deixa feliz, é que ele levou alegria pra muita gente, e era boa pessoa, que tinha muito amor pela vida e pelas pessoas.

"o poeta da verdade" disse...

Ler esta notícia não foi fácil. Aceitar pior ainda... Lembro da época de adolescência, onde nos reuníamos em porões para curtir no antigo national rsrs as fitas K7. Porque os vinis eram caros e raros. Quando me deparei com o primeiro trabalho do sabath, foi na voz do Ozzy. Particularmente pra mim é o melhor vocal até hoje que passou por lá ,até que me aparece o Dio... Daquele dia em diante tudo mudou e depois de ter o privilégio de curtir ao vivo aqui em Curitiba, o baixinho detentor de um vocal espetacular , foi algo muito gratificante... E que se propague esta lenda aos demais que não tiveram oportunidade de assistir um show , mas procurem o conteúdo e sintam o poder do verdadeiro rock pesado , na voz de um ícone como o DIO ... Ave!

Rafael Perfeito disse...

Esses clipes dos anos 80... rs.
Lembro de rir muito com o pessoal do Judas Priest assaltando um banco para roubar o disco de ouro. hahahaha.

O Dio era um grande vocalista e considero seu melhor trabalho o Long Live Rock and Roll, com o Rainbow, lá pelos idos de 77, eu acho.

RIP DIO!